Do corpo para o mundo - Jessica Harrison

Sofa, 2009

     Olá! Não escrevendo sobre este tema durante algum tempo, decidi cá voltar. Entre canetas, papel, cerâmica e até pele, Jessica Harrison vai-vos deixar colados ao ecrã .
     Jessica nasceu em 1982 no Reino Unido e ainda por terras inglesas estudou escultura, em Edimburgo. O que a faz então diferente de outros esculturores? 



Painted Lady (1), 2013 | Painted Lady (1), 2013 | Painted Lady (1), 2013 
    

     A artista inglesa usa o tema do corpo como a sua musa. Desde obras com materiais simples como papel, caneta ou tinta até obras feitas de pele (sintética mas tão idêntica que vos vai arrepiar), Jessica desafia-nos a ver o corpo de outra forma.




Armchair, 2009 Table, 2009 | Clock, 2009 


     Pegando em objetos usados geralmente para decoração (alguns considerados kitsch), a escultora utiliza a superfície do corpo (ou uma imitação do que o protege, como nas fotos anteriores) para mostrar um espaço em que o corpo e o mundo se misturam, deixando de parte a ideia geral de que o corpo é só o que está dentro e fora do ser humano, mas que também é o que o rodeia. 

     Como é costume, mostro-vos a série de trabalhos que mais gosto. Fiquei a conhecer o trabalho de Jessica Harrison pelas esculturas em pele, mas a série que mais gosto é sem dúvida a "Bloody Bloody Boudoir Ladies", pelo horror que consegue transmitir através de simples cerâmicas decorativas. 





E para vocês? Qual é o melhor trabalho? Já conheciam a artista? 


Sem comentários:

Enviar um comentário